Moran Rosenblit, encontrei o Messias de Israel nos Estados Unidos

Nascido e criado em um kibutz em Israel, Moran entrou para o Exército Israelense aos 18 anos. Um ataque suicida causou a perda de 22 soldados, muitos dos quais eram seus amigos mais próximos. Moran deixou Israel. Nos Estados Unidos, ele foi desafiado a ler a Bíblia. Então, ele encontrou o livro “Por quê eu?” de Jacob Damkani. Assista ao seu testemunho: “Encontrei o Messias de Israel nos Estados Unidos.”

Legendas de vídeo youtube

Shalom, meu nome é Moran Rosenblit. Eu sou o fundador e diretor-executivo de um ministério chamado: “Esperança para Israel.” O fato de que eu sou o fundador e diretor-executivo do ministério “Esperança para Israel” é algo muito especial para mim. Eu nasci aqui em Israel, em um kibutz. Eu vivi lá os primeiros 18 anos da minha vida, em uma família secular. Não acreditando realmente em Deus, mas com um monte de festas e a liberdade que o mundo tem para oferecer. E então eu me juntei ao Exército Israelense. Como todo jovem de 18 anos, homem ou mulher, eu era obrigado a inscrever-me no exército. Alguns meses depois de entrar para o exército, fui designado para outra unidade E alguns amigos me desestimularam a mudar para aquela outra unidade. A nova unidade significava que íamos estar na linha da frente, haveria perigo para as nossas vidas. Mas eu decidi ir em frente e mudar para a nova unidade. Na semana seguinte, um domingo, nós estávamos em nosso caminho para a nova unidade Quando soubemos que houve um ataque suicida no lugar onde os soldados da minha antiga unidade reuniam-se todos os domingos. É um dia que eu nunca esquecerei na minha vida. Ao entardecer, os nomes daqueles que tinham morrido começaram a chegar. 21 soldados e 1 civil foram mortos no ataque, e entre os soldados também estavam os meus melhores amigos, aqueles que tinham me pedido para não mudar à nova unidade. Esse foi um dia em que eu perdi a esperança pela vida, Foi um dia em que eu perdi a esperança por este país, por Israel. Esses amigos foram mortos durante o processo de paz, onde o nosso falecido primeiro-ministro Isaac Rabin estava disposto a trocar a nossa terra por paz, e ter negociações de paz. nós perdemos muitas vidas preciosas durante esse tempo, nas mãos de terroristas, os quais não querem nada além de ver Israel destruído. Então, quando eu terminei o meu serviço militar, voltei para minha antiga vida. Eu trabalhava como disc jockey em clubes noturnos. Poucos meses depois que eu terminei o exército, outro grande amigo meu morreu na parte sul do Líbano, nos dias quando Israel ainda estava lá. Esse foi o dia que eu decidi sair do país. Eu já não podia tolerar a dor, e estava cansado de ver essa coisa horrível chamada morte à minha volta Então eu fui embora de Israel, e depois de uma breve parada na Inglaterra, Eu cheguei aos Estados Unidos. Nos Estados Unidos eu fui convidado para visitar uma igreja e, sendo um jovem israelense, eu estava muito curioso para ver como seria uma igreja. O que eu sabia era que a Igreja é um lugar chato com pessoas chatas. Mas a coisa mais importante que eu sabia sobre os cristãos, foi o que eles fizeram com o povo Judeu no Holocausto. Que os nazistas eram cristãos. Foi com esse conhecimento que eu cresci Então, quando cheguei na igreja e conheci pessoas legais, pessoal muito caloroso e amoroso, foi uma grande surpresa para mim. Em um dos serviços, o pastor estava falando sobre relacionamento pessoal com Deus. E ele fez uma declaração que me incomodou muito. Ele disse que os Judeus pensam que conhecem a Deus, mas eles não conhecem a Deus de um jeito pessoal. Ele estava falando de um homem chamado Jesus, quem disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida; Ninguém pode vir ao Pai, senão por mim”. E quando eu ouvi essa afirmação, eu pensei que ele estava atacando o povo Judeu e que ele estava falando contra nós. Então, no final do serviço, eu fui e perguntei ao pastor: “Como pode você falar sobre o meu povo desse jeito?” Ele perguntou-me se alguma vez eu tinha lido o Velho Testamento. Eu disse: “Algumas vezes, quando eu era mais novo.” Ele perguntou: “Você já leu o Novo Testamento?” Eu perguntei: “O que é o Novo Testamento?”. Eu realmente não sabia o que era o Novo Testamento. Ele me disse: “Vá para casa, o leia e depois venha falar comigo”. Fui para casa muito zangado. Mas antes de compartilhar com você o resto da minha história, eu quero encorajá-lo com uma coisa: Eu, pessoalmente, não gosto dos termos ‘Velho’ e ‘Novo’ Testamento. Nós acreditamos em uma Bíblia. Muitas profecias ainda não foram cumpridas. Como pode então ser velho? Como pode alguém dizer que conhece o único e verdadeiro Deus, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, se ainda não leu a partir de Gênesis 1 e não leu a história de Abraão, Isaque e Jacó? Eu quero encorajar todo aquele que ver isso, para realmente abrir a Bíblia e ler, começando com o livro de Gênesis e ter uma melhor compreensão e conhecimento de quem Deus é. Quem é Aquele em quem acreditamos, o único e verdadeiro Deus existente. Voltando ao meu testemunho, à minha história: Fui para casa e estava procurando algo para ler, quand É o testemunho de outro jovem israelense, mas eu não sabia era o seu testemunho, a história dele. Eu só vi o livro e queria lê-lo. Eu gostei do título: “Por quê eu?” Então eu comecei a ler o livro. Ele estava cheio de profecias e do cumprimento das profecias. Quando terminei de ler o livro, eu não tinha dúvida de que Deus é real e que Yeshua é de fato o Messias prometido de Israel e do mundo. Pedi-Lhe para perdoar os meus pecados e entrar na minha vida. E desde então eu comecei o caminho mais emocionante que eu jamais poderia ter vivido. Deus me deu um ministério chamado “Esperança para Israel.” E o nosso principal objetivo é levar Yeshua, a quem vocês conhecem como Jesus, de volta para casa, de volta para Israel. Para que os Judeus saibam quem Ele é, e O convidem para vir às suas vidas também. Nós fazemos isso através do discipulado. Yeshua disse: “Ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” Em seguida, Ele disse uma das coisas mais importantes, mas em muitos lugares isso é omitido. Ele disse: “ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei.” E essa é a nossa principal ênfase: ensinar as pessoas a obedecer a tudo o que Ele nos ordenou E não apenas ensinar o que a Palavra diz, como um serviço de lábios vazios ou palavras vazias, mas através das nossas ações. Para ensinar as pessoas a aplicar a Palavra de Deus em nossas vidas e viver neste lugar a fé em que nós acreditamos. As pessoas em Israel estão cansadas de religião. Eles querem algo real, e nós podemos dar-lhes é a resposta: Nós podemos dar-lhes a fé. A fé é algo que vem de dentro para fora, e não algo de for a que permanece do lado de fora. E isso é realmente o que fazemos: estamos fazendo discípulos. Nós damos ajuda humanitária aqui, estamos ajudando as vítimas da guerra. Existem constantes conflitos em diferentes partes do país, e nós estamos ajudando essas pessoas, àqueles que foram afetados pela guerra do lado Israelense; e quando eu digo do lado Israelense, não importa se são Judeus ou Árabes. Estamos ajudando a todas as pessoas. Movendo-as das áreas afetadas pela guerra e colocando-as em abrigos seguros, e depois as ajudámos em seus negócios que foram destruídos, para assim começarem de novo. Temos também um ministério de jovens. É um grupo de jovens de 6 ou 7 diferentes congregações aqui em Jerusalém. Temos cerca de 40 jovens, aos quais ensinamos o que significa ser um crente. Ensinamos-lhes unidade, os preparamos para o futuro. Queremos ver esses jovens, rapazes e moças, firmes em Deus e compartilhando o que eles acreditam, sendo as testemunhas da próxima geração, Eles são as pessoas mais importantes para se investir nelas, porque elas são o futuro, como eu já disse. Damos também proteção para aqueles que estão sendo perseguidos. Em Israel há muita perseguição contra os crentes, e nossa obrigação é estar ao seu lado e simplesmente amá-los, abraçá-los, ajudá-los a ser curados e voltar de novo para o “campo de batalha.” Não podemos esquecer aqueles que estão sendo perseguidos. Há muitas pessoas que passam fome em Israel como resultado do conflito constante, da guerra permanente. Grande parte do orçamento em Israel está sendo destinado à segurança e, por isso, muitas pessoas passam fome. Há também muitos imigrantes, que vêm de diferentes países ao redor do mundo, e eles estão com fome. Nós também os ajudamos. Yeshua disse que nós devemos alimentar os famintos, e eu não quero ser uma das pessoas que tenham que ouvir as palavras: “Eu tive fome e você não Me alimentou.” Isto é o que nós somos, estamos aqui para trazer a esperança do Messias de volta para casa,de regresso à Israel. E eu gostaria de convidá-lo para se juntar a nós neste esforço.Obrigado e shalom desde Jerusalém.